Ir para o menu de navegação principal Ir para o conteúdo principal Ir pro rodapé

Artigos

v. 16 n. 1 (2021): ABRIL 2020

Cadeia logística reversa de pneus automotivos pós-consumo em Teresina-PI

DOI
https://doi.org/10.20985/1980-5160.2021.v16n1.1664
Enviado
julho 22, 2020
Publicado
maio 4, 2021

Resumo

Os pneus são resíduos sólidos que precisam de uma destinação adequada para evitar danos ambientais e à saúde ou para não servir de criadouros de vetores de doenças tais como a Dengue, a Chikungunha e a Zika. As preocupações com esses tipos de materiais motivaram legislações como CONAMA nº 416/2009, que previne a degradação ambiental ocasionada por pneus inservíveis e que busca a destinação correta, e a Política Nacional de Resíduos Sólidos, lei 12305, que por sua vigência estabelece a indispensabilidade da estruturação e implementação da logística reversa, além de trazer a responsabilidade compartilhada da cadeia produtiva. Tendo em vista a preocupação com o pós-consumo dos pneus, como a destinação ambientalmente correta, buscou-se analisar como ocorre a logística reversa dos pneus automotivos pós-consumo na cidade de Teresina – PI, por meio de pesquisas de campo nos envolvidos na cadeia, como as borracharias, concessionárias, revendedoras, renovadoras de pneus e empresa de reciclagem. A reforma de pneus, além de ser mais econômica para os consumidores e ecologicamente correta, é uma alternativa aos pneus pós-consumo que apresentam a estrutura adequada a reforma, evitam também que sejam utilizados litros de petróleo, assim como a liberação de CO2. Nas três renovadoras visitadas na cidade de Teresina, deixaram de ser utilizados mensalmente 91.560,0 litros de petróleo com a não liberação de 247.615,09 metros cúbicos de CO2 e a previsão anual de 1.098.720,0 litros de petróleo com 2.971.381,13 metros cúbicos de CO2 não sendo emitidos.

Downloads

Não há dados estatísticos.