Ir para o menu de navegação principal Ir para o conteúdo principal Ir pro rodapé

Artigos

v. 15 n. 1 (2020): ABRIL 2020

Biorreator à membrana-nova: tecnologia para tratamento de efluentes

DOI
https://doi.org/10.20985/1980-5160.2020.v15n1.1538
Enviado
maio 21, 2019
Publicado
abril 13, 2020

Resumo

A maioria das estações de tratamento de esgoto tem seguimentos de processos clássicos, normalmente coagulações-floculações contínuas de tratamentos biológicos. Nota-se que nas grandes metrópoles os problemas de tratamento de esgoto vêm se estendendo, e parte desses efluentes, tanto domésticos quanto industriais, normalmente são lançados ao meio ambiente, acarretando problemas e riscos à saúde da população; portanto, são necessários novos métodos de tratamento para evitar danos e contaminações ao meio ambiente. Além disso, o crescimento dos meios urbanos tem deixado poucas alternativas de áreas disponíveis para a implantação de estações de tratamento de esgoto (ETE), uma vez que estas demandam espaço significativo para a sua instalação. Como alternativas às ETE convencionais surgiu uma nova tecnologia, a partir de um conceito simples de filtração de biomassa: os biorreatores à membrana (MBR). Este artigo visa demonstrar como são realizados os procedimentos de tratamento de efluentes por meio da tecnologia MBR, com a qual temos a possibilidade de trabalhar com elevadas taxas de aplicação, com a viabilidade de um efluente melhorado e com viáveis opções de reuso da água.

Downloads

Não há dados estatísticos.