Inovação e melhoria contínua no laboratório de análises clínicas Búrigo

Renan Grijó Búrigo, Nério Amboni

Resumo


O artigo tem por objetivo analisar os impactos dos projetos Escalpe, SMS e Vacinas para pacientes, implantados pelos Grupos de Melhoria do Laboratório Búrigo nas dimensões de inovação (produtos, processos, marketing e organizacional), propostas pelo Manual de Oslo da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (ODCE). Os fundamentos teóricos envolvem os temas qualidade e inovação nas organizações. Os dados e as informações são oriundos de pesquisa bibliográfica, análise documental, entrevista e observação. Os resultados alcançados evidenciaram que os Grupos de Melhoria contribuem na inovação em produtos/serviços e nos processos do Laboratório Búrigo. Os achados também estão em sintonia com a classificação de Oslo e de que as inovações em serviços são muito mais incrementais do que radicais. Os Grupos de Melhoria representam uma estratégia da busca contínua da excelência em serviços e dos relacionamentos entre os stakeholders.


Palavras-chave


Inovação; Laboratório Clínico; Qualidade; Grupos de Melhoria.



DOI: https://doi.org/10.20985/1980-5160.2016.v11n3.723

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

 

ISSN: 1980-5160

Rua Passo da Pátria 156, bloco E, sala Sistemas & Gestão, Escola de Engenharia, São Domingos, Niterói, RJ, CEP: 24210-240

Tel.: (21) 2629-5616

Correspondência: Caixa Postal LATEC: 100175, CEP 24.020-971, Niterói, RJ